20 setembro, 2017

Vegetariano não é sinónimo de saudável


Desde que vim para a Bélgica o meu consumo de carne e peixe diminuiu drasticamente. Primeiro porque a carne é bastante cara (e na altura que vim ainda era estudante e, portanto, com um salário bastante reduzido) e o peixe então nem se fala. Habituei-me a cozinhar com legumes, bem como a tirar o melhor proveito das leguminosas. Depois também vi um documentário dos maus tratos aos animais para nosso belo prazer e fiquei com o coração do tamanho de uma semente. Deram grande ênfase aos animais que têm, tal como nós, sistema nervoso e, por conseguinte, sofrem imenso e sentem. A partir desse documentário é rara a vez que compre carne de vaca , de porco ou anho. Mas atenção eu não as eliminei por completo da minha vida. Até porque se for a casa de alguém não lhes resisto. Assim como também não resisto a um bom enchido. Simplesmente decidimos que no nosso frigorífico iríamos pelo menos tentar ter a menor quantidade possível desse tipo de carnes. Ou seja, a minha alimentação passa muito por carne de aves. 

Estas questões da alimentação estão cada vez mais na ordem do dia. Acho muito importante nos importarmos com aquilo que comemos, mas também acho muito importante pesquisarmos bem sobre o assunto, sermos criticos e não aceitar em 5 minutos aquilo que lemos ou ouvimos. 


Desde já quero esclarecer que esta é só e meramente a minha opinião. Não sou médica, nem nutricionista e estou longe de ser vegetariana. Mas não fico indiferente quando me deparo muitas vezes com a seguinte frase, ou algo do género: "vegetariano por uma alimentação saudável". Uma alimentação saudável é uma alimentação equilibrada! Tanto os vegetarianos como os não vegetarianos podem seguir um regime alimentar saudável. 

Esta semana vi um documentário de vários produtos vegan, altamente processados e com uma percentagem de sal quase 7 vezes superior a um produto não vegan (especialmente produtos vegan a imitar a carne, tais como a mortadela, por exemplo). Acima de tudo devemos saber interpretar a composição dos produtos! Isso sim é importante! 

Já alguma vez refletiram sobre o assunto? O que acham?


18 setembro, 2017

Ginásio ao domingo? 🙄

Se há uns tempos me perguntassem se eu era capaz de ir ao ginásio ao domingo eu diria JAMAIS! Para mim o domingo sempre foi significado de descanso absoluto, almoço em família, passeio, filmes e filmes, deitadinha no sofá ... e todas essas coisas boas que se fazem ao domingo! 


Acontece que agora, com a chegada do meu príncipe e à medida que ele vai crescendo, tem sido muito difícil encontrar o timing perfeito para treinar. Muitas vezes nem é bem a falta de tempo, porque tempo arranja-se sempre. Mas agora que sou mãe (e com certeza as mães vão-me perceber), gosto de aproveitar o tempo que tenho para estar com o meu filho. Durante a semana, o tempo para estar com ele já não é muito, e se a esse tempo ainda tiro uma ou mais horas para ir ao ginásio, fico com ainda menos tempo para estar e brincar com ele. 

A verdade é que também gosto de treinar e faz-me bem, não só física, mas também mentalmente. Então olhem, a solução que encontrei esta semana, ou melhor na semana passada, foi ir ao ginásio no domingo. Aproveitei o facto de o Tiago ainda dormir uma boa hora de manhã e lá fui eu! 

A experiência foi bem melhor do que aquilo que eu estava à espera. Havia gente no ginásio, mas nada de exageros. O suficiente para eu não me sentir sozinha e ao mesmo tempo para ter as máquinas que eu gosto disponíveis. 

Gostei deste sistema e o mais provável é repetir. Pelo menos enquanto o Tiago dormir uma hora de manhã. Assim posso treinar sem abdicar do tempo em que posso estar com ele. 

Há por aí alguém que treine ao domingo?

13 setembro, 2017

O meu primeiro trabalho

Abril 2004,

Inaugurava-se o Vilas café! Fui como convidada e acabei o dia como funcionária daquele espaço preparado com tanto carinho pelos meus tios.


Havia muita gente, para mim todos, ou quase todos conhecidos. Havia muito trabalho e voluntariamente ofereci-me para ajudar. Aparentemente calma, mas muito despachada e de uma simpatia característica (assim me descreviam), empenhei-me naquela tarefa, simpatizaram comigo e com o meu desempenho e eu fiquei rendida ao trabalho e prazer de bem servir!

Dos meus 16 até aos meus 22 anos de idade trabalhei no Café Vilas aos fins de semana e nas férias escolares. Os meus pais nunca me obrigaram a trabalhar, e até então eu também não tinha pensado no assunto. Aconteceu de forma muito rápida, mas muito natural.

Sorria todos os dias, ri-me muitas vezes à gargalhada, ouvi, fui ouvida, chorei muitas vezes também, tive dias de stress, de um cansaço infindável, mas fui sempre muito feliz! Foi uma aprendizagem muito positiva em vários sentidos, ou até mesmo o reforço de várias características que nos preparam para o mundo do trabalho, para um mundo mais adulto e de mais responsabilidades. Cumprir horários, respeitar tanto os colegas de trabalho como cada pessoa que entrava naquele café, perceber os meus limites, pôr à prova a minha vocação de responder com educação a pessoas menos bem educadas (foram poucas, mas também as houve), focar-me nas tarefas e nos objetivos e divertir-me. Sim, é possível divertir-se a trabalhar, quando se trabalha com paixão e se sente que o nosso trabalho é valorizado.   

Carrego na mente as melhores recordações, os melhores momentos, as melhores aprendizagens e trago no coração as pessoas mais bondosas que tive o prazer de conhecer nesse longo percurso.   

Concluindo, o meu primeiro trabalho foi uma experiência muito positiva. E vocês, trabalharam aquando dos estudos? Lembram-se do primeiro trabalho?

  

10 setembro, 2017

Pedicure belga 🤔

E eu que pensava que a pedicure era igual em todos os países 🤔 Não poderia estar mais enganada! 

Aqui há uns tempos recebi um voucher de uma amiga para um salão de estética e na semana passada lá fui eu. Decidi fazer pedicure porque gosto sempre do resultado final (fica melhor do que quando faço em casa). 


Desde que estou na Bélgica, foi a primeira vez que aqui fiz uma pedicure e desconfio que também será a última 😜 Ora isto porquê? Então estava eu toda relaxada, de vez em quando lá falava com a esteticista (muito simpática, por sinal), apreciava o trabalho dela para depois tentar fazer em casa. Tive os pés de molho durante 10 minutos; limou-me as unhas; passou-me uma lima nos calcanhares, na planta do pé e na parte exterior do dedo grande pois tenho tendência a ganhar alguma calosidade. Passou-me um creme e fez uma breve massagem e disse voilà. Por momentos fiquei confusa e pensei: não isto ainda não pode ter acabado porque falta pintar as unhas. Mas para meu grande espanto tinha mesmo acabado ... Eu não sei como é nas vossas terras, mas em Monção e na terra do meu D., quando vou fazer uma pedicure, o verniz está incluido! E parece-me tão normal!

Mas pronto, o bom disto tudo é que me ofereceram um café e fiquei com os pés muito bem tratados. 

08 setembro, 2017

Máscara Volume Elixir da Yves Rocher

Já não é a primeira vez que vos falo da Yves Rocher. Quando estava em Portugal encomendava por revista e desde que vim para a Bélgica que tenho oportunidade de visitar e comprar no espaço físico. Gosto de lá ir não só pelos produtos, mas também pelas promoções. E há promoções TODOS OS MESES. O mês passado, todos os artigos estavam com um desconto de 40% e eu aproveitei para comprar a máscara volume elixir, a qual nunca tinha experimentado, provavelmente devido ao preço (é mais cara do que as outras máscaras da marca). De todas as que já experimentei, esta foi sem dúvida a que mais me surpreendeu pela positiva. 









O que ela promete:
  • Volume imediato devido à escova cónica com fibras duplas
  • Reforçar e reparar as pestanas devido aos peptídeos de hibisco
  • Não contém parabenos, nem perfume









Opinião da Fia:

A minha experiência com esta máscara tem sido mesmo muito positiva. Tenho sido muito feliz com ela 😉 
Tal como promete dá volume às pestanas, mas é um volume extremamente elegante. As pestanas ficam devidamente volumosas, sem ficarem farfalhudas ou empastadas, como muitas vezes acontece. Como é um volume elegante, acaba por dar um efeito muito natural, tal e qual como eu gosto. 

Esta máscara vai diretamente para a lista dos meus favoritos. 

Conhecem esta máscara? Qual a vossa favorita?  


P.S: Já voltei a conseguir comentar os blogues do sapo 🙌 Obrigada à Chic'Ana pelo esclarecimento! 

07 setembro, 2017

Aviso e pedido de ajuda

Caros bloggers da sapo,

Sabem que costumo ser ativa nos vossos blogues, gosto de ler e de comentar. No entanto, desde terça-feira que só consigo ler, sendo que não me é permitida a opção de comentar. Não sei o que se passa, insiro os meus dados, escrevo o comentário e quando clico em publicar aparece-me uma página em branco, cujo link é http://blogs.sapo.pt/talkpost_do.bml 

Alguém me consegue ajudar a resolver este problema? Já aconteceu isto a mais alguém? 


Desde já muito obrigada

06 setembro, 2017

A originalidade da La chaise longue

Muitas são as vezes que procuro um presente diferente, algo simples, mas original e que ao mesmo tempo se identifique com a pessoa em questão. Na semana passada estava em Bruxelas à espera do comboio e decidi passear pela estação de comboios. Foi então que descobri a La chaise longue, que me conquistou em dois tempos pela sua originalidade. Ora vamos espreitar aqui uma ínfima parte daquilo que lá podem encontrar:



  • À primeira vista parece um batom, mas na verdade é uma bateria de socorro para o telemóvel
  • O segundo artigo não é tão original, mas é igualmente bonito para guardar os óculos em grande estilo
  • Ter um espelho na mala dá sempre jeito. Seja para retocar a maquilhagem, para ver o estado de alguma borbulha (acontece-me frequentemente), ou para nos lembrar do cansaço e das olheiras que chegam ao queixo. O importante é que este espelho remete-nos para a elegância e glamour de Paris. 
  • A esponja de banho em forma de melancia achei assim uma coisinha muito fofa
  • Parecem macarons, não parecem? Lamento informar-vos mas são apenas sabonetes. Não acham super original? 
  • E este corta unhas natalício também me conquistou com tanta fofura
 
  •  Não me importava nada de ter um rádio destes. Achei-o mesmo lindo!
  • O bigode da chávena e o infusor de chá em forma de cachimbo estão muito originais. 

Conhecem esta loja? Ou outra com o mesmo conceito e originalidade?



04 setembro, 2017

A Fia leu ... A rapariga no comboio

Eu sei que já toda a gente, ou quase toda, leu este livro! Mas eu nestas coisas sou sempre a atrasadinha 😜 e só na semana passada é que o acabei de ler.

Esteve meses na minha mesinha de cabeceira, mas andava preguiçosa para a leitura. A verdade é que quando comecei a ler este livro foi num instante que o acabei de ler. 


Este livro é daqueles que nos deixam completamente envolvidos, com vontade de querer ler mais e sempre mais, porque a história nunca deixa de nos surpreender. Este thriller tocou-me profundamente por vários motivos. Três mulheres, com personalidades e vidas distintas, mas cuja história acaba por se encruzilhar. Há traições, problemas conjugais, alcoolismo, amor, obsessão, erros fatais, segredos, mentiras e morte. Isto tudo num só livro, só pode resultar numa explosão de sentimentos!  

Reflexões que me ficaram:
Quantos de nós não fazem especulações da vida dos outros sem sequer os conhecermos? Eu faço imensas vezes isso. Gosto de olhar para as pessoas e de imaginar como será a vida delas. A verdade é que aquilo que os nossos olhos veem nem sempre corresponde à realidade.  

Seremos todos nós feitos de segredos? Seremos nós aquilo que as pessoas julgam que nós somos? Será que conhecemos verdadeiramente a pessoa a quem jurámos amor eterno? Estas perguntas são uma constante neste livro e confesso que me deram muito que pensar durante uns bons dias. A falsidade das pessoas é algo que me transtorna.

Será a nossa vida tão infeliz, ao ponto de nos deixarmos levar completamente pelo álcool, ao ponto de acharmos que já não somos úteis para nada? Mais, ao ponto de pensarmos que não merecemos ser feliz. Ao ponto de duvidar daquilo que somos ou não capazes de fazer. Ao ponto de duvidar da nossa própria personalidade, porque nos tornamos tão miseráveis.  Esta parte do livro corroeu-me. Ver até que ponto nos podemos tornar vulneráveis, perder tudo (marido, casa, trabalho ...), cair assim mesmo no fundo do poço, sabem? Esta parte doeu-me muito, porque isto pode mesmo acontecer na vida real. Tanto estamos bem, como de repente a nossa vida dá uma volta de 180° e fica tudo péssimo. Mas o melhor é nem pensar e lutar sempre de cabeça erguida e com positivismo, para termos sempre a lucidez necessária para dar rumo à nossa vida.


Se ainda não o fizeram, acompanhem esta viagem, de comboio, e garanto-vos que vai valer a pena. Não conhecia a escritora Paula Hawkins, mas merece uma vénia pela complexidade do drama, usando uma escrita muito simples e apetecível.  

01 setembro, 2017

E assim de repente ... 1 ano a blogar

Há precisamente um ano publiquei o meu primeiro texto neste blogue. Quase que nem consigo acreditar que já passou um ano!

Imagem retirada daqui

Este blogue surgiu pela motivação do meu marido e pela minha eterna vontade de partilhar. Eu estava grávida, estava numa das melhores fases da minha vida, cheia de amor, de vontades e de inspiração. Um dia cheguei a casa e acho que estava particularmente bonita e bem arranjadinha 😜 e foi nesse dia que o meu D. disse que eu deveria ter um blogue. Não precisou dizer duas vezes, porque já era algo que eu havia pensado. Pus mãos à obra e passadas algumas semanas eis que surge O Cantinho da Fia. E é mesmo o meu canto, esta sou mesmo eu! Sou feita de várias essências (acho que todos somos) e, por isso mesmo, este blogue reflete cada uma delas, desde viagens, receitas, pensamentos, reflexões, modalidades desportivas, produtos de beleza e peças de moda com as quais me identifico. 

Durante este ano fiz várias partilhas, não tantas como gostaria, mas todas com a maior sinceridade, amor e dedicação. Nem sempre tenho o tempo que gostaria de ter para dedicar a este espaço, mas o tempo que lhe dedico é um tempo feliz! 

Nada disto faria sentido sem vocês que me acompanham, que leem e que comentam. Gosto muito do núcleo de amizade virtual que este blogue me tem proporcionado. É engraçado como podemos simpatizar e nutrir bons sentimentos por pessoas que nem nunca sequer vimos. Obrigada também por todas as partilhas que fazem nos vossos respetivos blogues.

OBRIGADA!

E para comemorar este primeiro ano do blogue decidi abrir-lhe uma conta no instagram. É a minha primeira conta no instagram, por isso perdoem-me os erros de principiante 😊 Sintam-se à vontade para me acompanhar por lá @ocantinhodafia  

30 agosto, 2017

Saudade

A palavra escolhida pela Cris Loureiro, autora do blog a vida não tem de ser perfeita e também autora do desafio palavras quase perfeitas, para o mês de agosto é saudade

Saudade é uma palavra tão nossa, tão portuguesa! É uma palavra nostálgica, mas que carrega toda a magia e poder de recordação da nossa mente. 

Imagem retirada daqui
Tenho saudades de tantas, mas tantas coisas. Desde simples pormenores até pessoas queridas que já não estão entre nós.

Tenho saudades daquelas noites de verão com a presença dos meus avós paternos e de TODA a família reunida para uma sardinhada organizada na casa dos meus avós. A minha mãe e as minhas tias a assarem sardinhas, o meu avô feliz da vida por conseguir reunir toda a família, a minha avó a cortar batatas e couves finamente para fazer caldo verde. O meu pai e tios a prepararem as mesas para sentar entre 20 e 30 pessoas. E nós os primos a desfrutar de toda aquela atmosfera, de todo aquele amor familiar e com a tarefa de pôr a mesa (pratos, talheres, copos, guardanapos, broa ...). 

Tenho saudades da minha avó materna! Da sua devoção a Deus e da sua fé. Quando alguém dizia um nome, ela dizia logo se era nome de Santo ou não 😜 Tenho saudades de ir com ela ao café e da inocência dela aquando dos episódios de uma novela. "Não olhes agora filha" dizia ela quando havia cenas, segundo ela, impróprias para adolescentes. Ou então, "Coitado, este morreu. Mas isto é só mesmo na novela, não é filha?". 

Tenho saudades do meu padrinho. Ele era uma pessoa alegre, apesar de todas as adversidades da vida. Ele foi um pai maravilhoso e eu vou sempre admirá-lo por isso. Lembro-me como se fosse hoje ele a convidar-me a ir passar férias a albufeira (eu era criança, muito criança). Os meus pais aceitaram e eu fui feliz da vida. Foi uma semana espetacular. Foi a primeira e única vez que fui ao Algarve. Foi a primeira e única vez que fiz um tereré no cabelo 🙌

Tenho saudades deles ... Sou feita de saudades e de recordações que me enchem o coração! Eles vão viver em mim SEMPRE e serão sempre os meus exemplos de amor e de ensinamentos para a vida. 

Também tenho saudades dos que felizmente ainda estão cá ... Tenho saudades dos meus pais e das minhas irmãs, todos os dias! Mas ter/sentir saudades é bom sinal. É porque as pessoas nos são queridas, porque fazem parte da nossa vida e moram no nosso coração apesar de toda a distância que nos possa separar. 

 

23 agosto, 2017

Parque das Caldas de Monção

Monção é a minha vila, um pedaço de terra lindo plantado no norte (mesmo norte) de Portugal! É uma vila sempre em evolução e quem está fora consegue ver isso. Parte das minhas férias são passadas em Monção e sempre que lá chego há algo de novo: um bar, um restaurante, um hotel, lojas, Burger King (sim Monção tem Burger King). E depois há aqueles espaços que sempre existiram, que vão sendo melhorados ao longo dos anos, mas que preservam a sua beleza natural e de sempre. Exemplo disso é o Parque das Caldas de Monção, merecedor das minhas visitas constantes. Este é um parque para todas as idades (sem exceção), onde há espaço para várias atividades. Há mesmo um parque, com baloiços, escorregas e todas essas coisas adaptadas para crianças; um café; um balneário termal; um complexo com piscinas municipal e terreno para jogar ténis e futebol; muitas árvores sob as quais há várias mesas e bancos de pedra para quem quiser estar sentado à sombra a ler um livro, na conversa ou até a fazer um piquenique. Também neste parque se tem oportunidade de passear junto ao rio Minho, que é o que nos separa de Salvaterra (terra da nossa vizinha Espanha). Há alguns anos construiram um passadiço de madeira a poucos metros do rio Minho e proporciona-nos uma caminhada muito agradável e relaxada.

Deixo-vos com algumas fotos que tirei nas férias deste espaço encantador .







   

20 agosto, 2017

Amarante ... Uma boa tentativa

Sempre que vamos a Portugal gostamos de tirar um ou dois dias só para nós e aproveitamos para conhecer alguma cidade que ainda não conhecemos. Este ano decidimos passar dois dias em Amarante e o plano parecia perfeito e tinha tudo para dar certo.

Ficámos alojados na Casa da Pedra. Afastada do centro de Amarante (a 6km), mas perfeita para passar bons momentos em família, com o namorado ou até sozinha. A parte exterior foi a mais explorada por nós e é muito linda. Jardim muito bem cuidado, tudo impecavelmente limpo, árvores de frutos, flores, bancos, mesas, espreguiçadeiras, espigueiro e uma piscina. O nosso plano era aproveitar a piscina à tarde, jantar no centro de Amarante e visitar a cidade no dia seguinte.  

 
Jantámos no restaurante Zé da calçada. Escolhemos este restaurante por ter um espaço exterior extraordinário com vista para o rio Tâmega. A decoração rústica cria um ambiente acolhedor e descontraído. O staff é extremamente simpático e afável. O jantar estava delicioso e querem saber o melhor? Quando chegámos à parte das sobremesas vimos umas letras que nos saltaram logo à vista: "Buffet de sobremesas: 4.5€". Uma mesa cheia de sobremesas e nós podíamos tirar de tudo um pouco só por 4.5€. Nunca tal coisa nos tinha acontecido. 

Imagem retirada daqui
A parte divertida desta estadia começa aquando do nosso regresso à Casa da Pedra. Estava a vestir o pijama ao nosso príncipe (que já estava a dormir desde que saímos do restaurante) e começo a ouvir um plim plim sobre a nossa cama. Olho para o teto e o pior confirma-se: estava a cair água do teto em cima da nossa cama. Fomos falar com a Senhora e ela disse-nos que estava com problemas de canalização e que já tinha chamado um canalizador para tentar solucionar o problema. Importa saber que já eram aproximadamente 11 da noite e que não havia mais nenhum quarto disponível naquela casa. O problema não se resolvia, a água continuava a cair e a amável Senhora entrou em contacto com hotéis da zona para saber se havia um quarto disponível. Ligou para vários e nada de quartos. Ainda nos propôs ligar para hotéis de outras cidades, mas nós dissemos que nesse caso preferíamos ir para casa, que era relativamente perto. A Senhora agradeceu-nos indefinidamente pela compreensão, desejou-nos muita saúde para nós e para o nosso príncipe, pediu imensas desculpas e não sabia mais o que fazer! Nós somos compreensíveis, sim e temos plena consciência que estes azares podem acontecer tanto numa casa rural como num hotel 5 estrelas. A Senhora está inteiramente desculpada 😉 Obviamente que não pagámos nada e ainda fomos convidados a lá voltar (mas tem de ficar para o próximo Verão).

E pronto assim termina uma quase visita a Amarante 😆  

15 agosto, 2017

O regresso

O regresso à Bélgica é sempre acompanhado por um misto de sensações. É uma tristeza profunda deixar a família, é sempre a parte que mais me custa, principalmente desde que fui mãe. É também significado de fim de verão, porque sei que chegando à Bélgica a temperatura ronda no máximo os 25°C. Regressei no domingo e ainda não consegui andar de sandálias, porque há vários períodos de chuva durante o dia. Mas a verdade é que também me sabe bem estar na minha casa, no meu espaço, com os meus horários e normalizar as rotinas. Acima de tudo reconforta-me saber que estamos todos bem, e que estamos separados apenas pelos quilómetros, porque em pensamento estamos sempre juntos. Apesar da distância somos unidos! 

Imagem retirada daqui

O meu orientador de tese já me perguntou se não era aborrecido ir de férias sempre a Portugal; se não sentia necessidade de conhecer outros países. Sinceramente não consigo imaginar outro cenário, senão ir a Portugal visitar a família. Os outros países vão-se visitando ao longo do ano, em mini-férias. As férias grandes são em Portugal e não, isso não me aborrece, muito pelo contrário, isso fortalece-me! 

Venho com as energias renovadas, cheia de força e vontade para acabar o doutoramento e abraçar novos desafios! 


E vocês ainda estão de férias? 

01 agosto, 2017

Férias

Vou estar ausente durante 15 dias 🙌

Aproveitar família e o sol de Portugal faz parte dos meus planos nos próximos tempos 😉


Se for o caso boas férias para vocês, caso contrário bom trabalho!

26 julho, 2017

Solidão

E assim de repente já estamos na última quarta-feira do mês de Julho e eu estou quase quase a ir de férias 🙌

Como já é habitual, na última quarta-feira do mês, participo com imenso prazer no desafio palavras quase perfeitas, lançado pela Cris Loureiro, autora do blog a vida não tem de ser perfeita. A palavra deste mês é solidão

Imagem retirada daqui.
Confesso que esta foi, até agora, a palavra mais desafiante, no sentido em que me custou organizar as minhas ideias e passar para a escrita aquilo que eu entendo por solidão.

Para ajudar a minha linha de pensamento vou citar três frases que vão de encontro àquilo que eu penso desta palavra:

"Enquanto não atravessarmos a dor da nossa própria solidão, continuaremos a nos buscar em outras metades. Para viver a dois, antes, é necessário ser um." (Fernando Pessoa)

A minha definição de solidão começa exatamente por aqui: a solidão é necessária para nos conhecermos, para nos ouvirmos, para nos auto criticarmos, para nos superarmos e, acima de tudo, para nos aceitarmos e estar em paz no nosso próprio silêncio

"A minha força está na solidão. Não tenho medo nem de chuvas tempestivas nem de grandes ventanias soltas, pois eu também sou o escuro da noite." (Clarice Lispector)

Longe vão os tempos em que associo solidão a tristeza. Solidão não significa não estar rodeado de família e de amigos. Solidão é o nosso estado mais puro, onde só a nossa voz reina, onde só o nosso pensamento nos invade. Solidão faz parte da vida e é a melhor ferramenta para o nosso auto conhecimento. 

"Solidão: um lugar bom de visitar uma vez ou outra, mas ruim de adotar como morada." (Josh Billings)

Esta frase do sábio Josh Billings é simplesmente perfeita. Tal como disse anteriormente, devemos encarar a solidão como algo positivo, como uma aprendizagem. Contudo, devemos ter consciência de que a solidão faz parte da nossa vida, mas não é a nossa vida e não a devemos considerar a nossa morada, o nosso mundo! Como tudo na vida, solidão sim, mas com moderação.  

21 julho, 2017

Serei só eu que ... #3

Tenho imensas saudades das pastilhas gorila?


Imagem retirada daqui
Eu sei que elas perdem o sabor em três tempos, mas sempre foram as minhas favoritas. A primeira pastilha que masquei foi da gorila, vinda diretamente da mercearia da minha avó materna. 

Aquando da minha licenciatura em Bragança, descobri um restaurante perto do apartamento onde morava que vendia pastilhas gorila. Claro que não podia ir sempre lá almoçar porque a vida económica de um estudante é bastante complicada, mas quando ia aproveitava e comprava montes de pastilhas gorila de vários sabores.

Se em Portugal é difícil encontrar pastilhas gorila imaginem na Bélgica!




E por aí, há quem goste de gorila ou nem por isso?

19 julho, 2017

T-shirts com mensagens

Gosto muito de t-shirts com mensagens! Não uso muito, não compro muito, mas gosto 😉 
Sempre que olho para uma t-shirt assim fico com um sorriso na cara, dá-me uma certa energia positiva; parece que a t-shirt me está a dizer alguma coisa ou então sou eu a voz portadora da mensagem que ela quer transmitir.  

Estas t-shirts são todas da cache cache



E vocês gostam deste tipo de t-shirt?

13 julho, 2017

Portugal aos olhos dos belgas

Quando eu começo a falar em francês as pessoas apercebem-se de imediato que eu não sou natural da Bélgica e de uma forma muito educada dizem assim: "Je vois que vous avez un petit accent. De quelle origine êtes vous?". Digo sempre muito orgulhosa que sou portuguesa. E é aqui que a situação muitas vezes descamba, mas tem vindo a melhorar consideravelmente ao longo destes 5 anos. 

Imagem retirada daqui
Então não é que muitas vezes quando digo que sou portuguesa me começam a falar espanhol? Ou então dizem-me que costumam ir todos os anos a Espanha. Espanha e Portugal são países vizinhos, mas são países diferentes. Vocês acreditam que até no supermercado Carrefour, na zona dos vinhos, está escrito vinhos espanhóis e depois vai-se a ver e há vinhos portugueses lá ... Enfim! Esta confusão entre Espanha e Portugal deixa-me fula. 

A verdade é que também há cada vez mais belgas a visitarem Portugal. Os que me conhecem pedem-me sempre conselhos e dicas do que fazer, o que visitar e o que comer. Muitas vezes não conheço a pessoa e iniciamos conversa só porque sim e se eu disser que sou portuguesa é logo motivo para me dizerem que visitaram ou que planeiam visitar Portugal. Os que já visitaram ficam maravilhados, especialmente com 3 coisas: o acolhimento português, o clima (muita luz e muito sol) e a comida, sendo que o bacalau é o mais apreciado 😆 A minha reação? Fico com um sorriso rasgado de orelha a orelha e com um brilho nos olhos de tanto orgulho 💖

11 julho, 2017

Perfumes de Verão

Adoro perfumes e até hoje nunca conheci ninguém que não goste de usar. Mas ter de ir a uma perfumaria escolher um perfume é coisinha que não aprecio. Fico tonta com tantos cheiros diferentes e com os olhos em bico com tantas marcas disponíveis. Por isso, o meu conhecimento nesta área acaba por ser bastante reduzido. Ainda assim, de todos que já experimentei tenho 4 de eleição para esta época de verão. 



Sendo que os dois primeiros são mesmo aqueles que eu adoro e nunca me canso deste cheirinho tão bom. Têm mesmo aquelas características de perfume de verão: muito suaves e frescos mesmo a combinar com as roupas, também elas frescas, com as cores e com os dias luminosos. O Miss Dior foi por mero acaso que o conheci. Deram-me uma amostra, usei e foi paixão à primeira utilização 💖 Gostei tanto que guardei a amostra para não me esquecer do nome e poder depois comprar. O Acqua di Gioia é a minha mãezinha que me costuma oferecer e é sempre uma ótima opção. Estes dois perfumes já me deram direito a vários elogios! Os outros dois também gosto, mas ... Há um mas ... O Light Blue é fresco e suave, mas desaparece o cheiro num ápice (isto na minha pele, claro). O Les Belles da Nina Ricci gosto muito, mas é um bocadinho mais forte.

Têm algum perfume de eleição?
  

06 julho, 2017

Onde está o macaco?

Cheguei à Bélgica no dia 9 de Janeiro de 2012. Acho que nunca mais me vou esquecer desse dia, onde estava completamente sozinha, super carregada com malas, com um nível de francês muito fraquinho, desconfiada de tudo e de todos, mas com uma enorme vontade de viver essa aventura e de aproveitar ao máximo cada momento, quer a nível pessoal, quer a nível profissional.

Felizmente sou uma pessoa muito sociável e foi muito fácil criar contactos, que agora são verdadeiros laços de amizade. Logo num dos meus primeiros dias na Bélgica lembro-me que um colega me convidou para um evento qualquer (que agora já nem me recordo qual) e disse-me que o ponto de encontro era na Grand Place de Mons à beira do macaco. Não tive problemas a encontrar a Grand Place porque é central e de fácil acesso. Agora o macaco ... Onde estava o macaco? Eu pensei que fosse um macaco visível ao longe e com uma estatura razoável. Mas não, estava completamente enganada: o macaco é uma formiga perdida na Grand Place.

Conseguem ver o macaco nesta foto?


Aposto que a vossa resposta é não! Porque o macaco é deste tamanho (e na foto parece bem maior do que aquilo que realmente é):


E encontra-se à beira daquela porta de estilo gótico que se pode ver na primeira foto.

Pode-se concluir que o meu colega foi muito amigável nas indicações que me deu, certo? 😜


Desejo uma ótima sexta-feira a todos ✨✨

03 julho, 2017

Frango, brócolos e cenouras no wok

Bom dia a todos!

Espero que o fim de semana tenha sido maravilhoso e aproveitado da melhor forma possível.

Hoje apresento-vos um prato, cujo mérito foi TODO do meu Daniel. Sim, porque ele também sabe cozinhar e cozinha muito bem (lucky me). Esta é uma receita muito simples, que leva poucos ingredientes, é saudável e deliciosa.


INGREDIENTES
  • 300 g de peito de frango
  • 4 cenouras
  • 1 brócolos
  • 2 cebolas novas
  • gengibre q.b
  • 2 colheres de sopa de molho de soja
  • 2 colheres de sopa de azeite
  • sal e pimenta q.b

PREPARAÇÃO
  1. Cortar os peitos de frango em tiras finas. A ideia é que fiquem pedaços de frango pequenos e finos. Cortar os brócolos em ramos mais pequenos, descascar as cenouras e cortá-las na vertical para que fique tipo tagliatelle (podem usar um descascador de batatas para conseguir este corte 😉)
  2. Colocar um tacho com água ao lume e cozinhar os brócolos durante mais ou menos 5 min
  3. Colocar o azeite no wok e cozinhar o frango até este ficar dourado. Para quem gostar, podem adicionar um bocadinho de pimenta nesta fase
  4. Ralar o gengibre, cortar finamente as cebolas novas e adicionar no wok durante 2 min. Depois juntar os brócolos e as cenouras e cozinhar durante mais 10 min
  5. Já no final adicionar o molho de soja e pimenta a gosto.   
Acompanhámos com arroz basmati.

Espero que tenham gostado desta receita!

Bon appétit😉