19 maio, 2017

Amamentação

Os benefícios da amamentação, tanto para o bebé, como para a mãe são mais que muitos e são do conhecimento de todos, ou pelo menos, de todas as mulheres que têm ou estão a pensar ter filhos. É um tema cada vez mais abordado, sobretudo no que toca à amamentação em público. Prometo que não é disso que hoje vos venho falar. Na minha opinião a mulher tem de fazer aquilo que mais conforto lhe transmite. Se quer amamentar, então amamenta; se não quer ela lá há-de ter os seus motivos; há muitas mulheres que querem e não o podem fazer; há mulheres que preferem tirar leite e depois dar aos seus filhos pelo biberão; amamentar em público sim desde que a mulher se sinta confortável para o fazer. 

Hoje venho partilhar a minha experiência de amamentação e vou ser o mais honesta e sincera possível. A minha experiência de amamentar já passou por várias fases, na sua maioria muito boas, mas não posso negar que também houveram fases complicadas. 

Imagem retirada daqui
Desde que engravidei, sempre tive em mente amamentar. Aliás, eu rezava para que tivesse muito leite e para que o Tiago gostasse do leitinho da mamã. E felizmente ambas se concretizaram. 

O instinto que os bebés têm em procurar o seio da mãe logo desde o seu nascimento é algo que me fascina e que me emocionou muito quando vivi esse momento! É logo aquele primeiro contacto com o nosso filho. E saber que ele vai crescer e tornar-se forte graças ao nosso leite é maravilhoso. Nos primeiros dias tudo correu lindamente. O Tiago comia muito bem e eu também me sentia cheia de energia. 

Depois passei por uma fase menos boa: fiquei com os mamilos gretados. Se é doloroso? É e MUITO! Saber que o meu menino tinha de mamar a cada 3 horas e que eu ia ter dores insuportáveis, que ia sangrar, era um sentimento muito mau, que até dores de cabeça me provocava. Se deixei de amamentar? NÃO!!! Essa hipótese estava fora de questão. Usei todos os meios disponíveis, informei-me muito mais do que aquilo que já me tinha informado (sim, porque desde o início da gravidez que li muito acerca da amamentação), pedi ajuda já no hospital para verificarem se a posição do Tiago no seio estava correta e confirmou-se que sim, usava cremes adequados para aliviar o mal-estar e acelerar a cicatrização, logo após a mamada passava leite por cima da auréola e até tive de comprar uns mamilos de silicone. Foi uma cicatrização longa, de cerca de mês e meio. Só aguentei porque a minha vontade de amamentar era bem maior do que as dores. 

A verdade é que depois desse tempo tudo voltou ao seu normal, tudo voltou a ser bonito e mágico. Eles começam a crescer, olham-nos nos olhos com uma profundidade tão intensa que as lágrimas até nos saem sem querer, começam a mexer as mãos e fazem-nos miminhos e tudo isso nos provoca sentimentos e sensações inexplicáveis.  

Esta tem sido a minha experiência e estas têm sido as minhas decisões. No entanto, tenho o maior respeito por todas as mães, por aquelas que amamentam, por aquelas que desde início decidem não o fazer, por aquelas que desistem devido às dores, por aquelas que gostariam de o fazer e não podem devido às diversas adversidades! Também é importante que nós mães nos sintamos bem, felizes e confortáveis. Afinal, não é à toa que dizem: mães felizes, bebés felizes! E eu acredito muito nisso. 

19 comentários:

  1. Não tenho filhos como sabes e nem sei se alguma vez terei mas o que é certo é que já falei várias vezes deste assunto, até com amigas que já foram mães.
    Não me vou prolongar, mas a minha ideia é bem diferente da tua.
    Mas claro, respeito todas e aliás, até lá, se acontecer, poderei mudar de opinião =)

    Beijocas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E eu também respeito a tua ideia. Aliás, como disse na publicação, respeito todas as ideias. Eu só partilhei a minha ideia e a minha experiência ;)
      Beijinhos e boa sexta-feira

      Eliminar
  2. Concordo que cada pessoa tem a sua ideia e devemos respeitar. Eu dei de mamar aos meus dois filhos até começarem a comer outros alimentos mas devo dizer que não era coisa que me agradasse muito, era mesmo pelo bem deles. Não critico quem dá muito tempo ou pouco tempo, nem sequer quem opta por não dar, cada um sabe de si e da sua vida! Pena que tenho visto tantos casos de pessoas que por tomar uma posição criticam as outras que tomam decisões opostas... mulheres contra mulheres... uma pena!
    Beijinho
    https://asreceitasdamaegalinha.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo plenamente Joana. Acho que as mulheres deviam estar mais unidas e deviam respeitar mais as diferentes opções, tanto no que toca à amamentação, como à maternidade de um modo geral.
      Beijinhos e uma ótima sexta-feira

      Eliminar
  3. Gostei muito de ler a tua opinião Fia, como sabes, para mim é um mundo desconhecido, mas que me desperta cada vez mais interesse. Eu gostaria de conseguir amamentar, vamos ver o que o futuro me reserva =)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada querida Ana.
      Se é o que desejas, vais conseguir amamentar, com certeza ;)
      Beijinho

      Eliminar
  4. Poder partilhar opiniões e experiências é sempre bom!

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  5. Uau Fia; Adorei a forma como descreveste tudo.
    Sente-se o amor que tens pelo teu filho!
    Muitos parabéns.
    Não sou mãe, mas quero muito ser e tal como tu espero conseguir amamentar e aguentar todas as provações!
    Já me contaram muitas histórias, mas nenhuma da forma tão bonita e profunda como tu colocaste a tua!
    De novo parabéns,
    Um Beijinho,
    Tiffany
    Last Post: Maquilhagem |Sweet Peach da Too Faced
    Ukuhamba

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh muito obrigada Tiffany. Ler as tuas palavras foi muito bom!
      Um beijinho e um ótimo fim de semana

      Eliminar
  6. Gostei muito da tua partilha.
    Infelizmente há uns anos vi um caso que me deu muita pena, em relação aos bebé, porque apesar de a mãe ter tido bom leite logo de início, ela não queria amamentar (não foi dores nem um motivo propriamente dito), e com muito poucas semanas o bebé ficou sem o leite da mãe, e ele bem precisava.
    Ao mesmo tempo outra mãe tinha o leite fraquinho, queria amamentar "melhor" e não podia. Enfim, é daquelas coisas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada pelas palavras. Pois, eu desejo que todas as mães que queiram amamentar que o possam fazer ;)
      Beijinhos

      Eliminar
  7. Apesar de haver sempre alguma controvérsia, cada mãe tem a sua experiência única :)

    ResponderEliminar
  8. Thank you so much for the comment :)

    such a beautiful post ! thanks for sharing it with us .

    New post - OOTD

    Check out my ♥Instagram ,Bloglovin

    Stay Gold

    ResponderEliminar
  9. A passar por cá hoje para desejar um bom fim de semana!

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  10. É um assunto sobre o qual não tenho conhecimentos, mas confesso que me desagrada um pouco a forma como as mães que não amamentam são julgadas.
    Gostei de conhecer a tua experiência e acho até que pode ser uma boa ajuda para as futuras mães.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  11. Ótimo post.
    Tive as mesmas expectativas quando engravidei, medo de não ter leite (só amamentei por 3 meses o leite secou) e não saber amamentar, mas enfim tudo deu certo. Hoje meu André esta com 15 anos forte, sadio e robusto.
    Bjs

    Tânia Camargo

    ResponderEliminar
  12. Quando é mesmo importante, uma mulher a sério faz todos os sacrifícios, não é?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acredito que todas as mulheres querem o melhor para os seus filhos e, por isso, todas as decisões são tomadas nesse sentido! É muito importante que a mulher se sinta bem. Se a mulher estiver bem, isso passa para o bebé, assim como o contrário também acontece.
      Beijinhos Gata

      Eliminar